sábado, 31 de janeiro de 2009

33ª Conversa - Arriscar

Eu - Da ultima vez que estive com a Rita, ela perguntou-me se eu não arriscava, e eu disse-lhe que arriscava quando tinha um risco controlado, e falei-lhe sobre o meu percurso profissional. Falei-lhe da "possivel ida para Cambridge" que não fui porque, apesar de ter sido admitida, não tive bolsa, também porque não tinha certificados, falei-lhe da minha ida para a empresa actual, falei-lhe de uma recente ida ao Porto... Falei de várias coisas...
Outro Eu - O caso do Porto não estava completamente sobre o teu controlo, e correu muito bem. A empresa, foi um benefício para ti. Mas e a questão de Cambridge leva-me a perguntar se fizeste tudo o que tinhas a fazer para conseguir. Sabemos muito bem que apesar de ser uma excelente oportunidade e de até ser tua vontade de querer ir para o Estrangeiro, havia muito medo. Medo que desprezavas perante os outros, mas que te fizeram ficar muitas noites em branco.
Eu - Eu sei, e se calhar quando falo de não ter os certificados, de não conseguir bolsa, faço-o em jeito de desculpa... Se calhar não arrisquei.
Outro Eu - Estamos agora a construir outra oportunidade para o futuro, mas que agora seja para arriscar, depois de conhecidos e ponderados todos os riscos. Que não se sobrevalorize os riscos só para não arriscar.
Eu - Ambos sabemos que queremos muito mais desta vida que o que temos actualmente.
Outro Eu - E para isso é preciso muita força e... arriscar.

2 comentários:

Cris (Mahinder Kaur) disse...

O teu outro eu sábio!
:)

Fontez disse...

quem não arrisca não petisca!
Cris tem razao...o "outro eu" tem mt sabedoria...

bj dear.