segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

45ª Conversa

Nem sempre a forma como nos vemos é a forma que os outros me veem, e comigo isso acontece frequentemente e em muitos pontos. A forma que eu me vejo, perante certos aspectos, é muitas vezes retorcida por marcas do passado. As outras pessoas, por sermos todos diferentes e por não terem passado pelas mesmas situações que eu, não têm a mesma envolvência e por isso não terão a mesma interpretarão os mesmos assuntos que eu.

Agora como é que vou conseguir sair eu do nevoeiro e ver com a clareza dos outros? Preciso de trabalhar para afastar as nuvens, e talvez passe, numa primeira fase em acreditar naquilo que dizem de mim. Porque não? Se os amigos (que sei que o são) acham isto ou aquilo a meu favor, porque estariam eles a inventar? Acho que tenho amigos sinceros ao ponto de me dizerem o bom e o mau e que não querem nem precisam de me engraxar... Claro que não poderei acreditar apenas porque me dizem, mas poderá ser um ponto de partida, mas terá sempre que passará por uma reflexão interna seguida de uma aceitação.

Sou assim? Pois sou! É bom? Óptimo! É mau? Talvez possa fazer algo para melhorar, não deixando de ser quem sou...

3 comentários:

Fontez disse...

isso mesmo!
terminas muito bem.

abordagem bem feita.

bom carnaval.

p.s. vais-te mascarar de...Kitty!
lol

Patrícia disse...

Gostei muito deste post. Acho que é muito sensato.
É importante avaliarmo-nos a nós próprios, tentando sempre agir da melhor forma possível. Mas devemos continuar sempre a sermos nós, sem dar demasiada importância ao que os outros pensam.
És assim e eu gosto :D

Beijinho muito grande

Sónia Pessoa disse...

Para a frente é o caminho e de preferência em ascensão. Passo para te deixar um beijinho e lembrar que estou aqui quando precisares... o meu silêncio não significa nunca abandono... beijo