segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

41ª Conversa

Eu a deambular nos pensamentos

Existem momentos que apenas me apetece estar na escuridão com televisão ligada a debitar hertz e decibeis sem que eu esteja demasiado atenta. Passam filmes ou notícias que apenas iluminam a escuridão. Deitada, com uma manta a tapar-me o corpo fico ali desejando que o mundo esqueça que eu existo. Não tenho razões, apenas uma melancolia que arrefece e me tolda o pensamento a ponto de não pensar sequer. Não me apetece falar sequer... Preciso? Não poderei ficar no silêncio dos decibéis da televisão? Toca o telefone, respondo à chamada do mundo... Falo mas os pensamentos continuam embrulhados, sigo com pensamentos curtos, como se não conseguisse ordenar mais que duas ideias. No fim, desligo e sei que não me posso esconder e que me encontram mesmo no meio da escuridão... Levanto-me bebeda por aquele ar turvo, e vou colocar algo no estomago... Alimentar o físico para reforçar o espírito. O dever chama, ligo e desligo maquinetas que levam directamente para o mundo global. Não me queria esquecer? Cruzo-me com alguém que conheço apenas de nome de longas conversas de palavras escritas. É intrometimento por te preocupares? Não penses assim, de todo... As minhas "tristezas" de que falas e que (não) queres conhecer estão aqui, despidas de mim. As dores físicas, essas que me acompanham são apenas umas, porque existem muitas outras. As dores que marcam cá dentro estão a ser cuidadas, qual cérebro aberto em meio de uma cirurgia. Mas será suficiente? O meu "lado positivo muito forte", como a Rita lhe chama, tem-me ajudado a seguir caminho... Mas quero? Não posso eu ficar na sala escura e esquecer-me do mundo? Absurdo, eu sei... Não posso mesmo?! Absurdo, eu sei... Eu sei que quero, sei que tenho que... mas custa e neste momento faltam-me as forças. A razão? Como respondi ontem não sei, nem quero muito saber, não me parece que tenha uma razão concreta... Durmo e acordo e cá vou eu de novo para o mundo. Vou... tudo está bem, tudo parece bem. Mas não quero falar, não quero estar... Que tenho eu para dizer? Nada...

3 comentários:

Fontez disse...

"Que tens para dizer?"
Tudo!

resignação? absurdo - saberás!
libertação? sim - saberás!
luta? sim - concretizarás!

bj.

marta disse...

Hoje o meu dia continua a ser a mil à hora, mas... almocei, e resolvi tirar um pedacinho de tempo para uma coisa importante. Fiz um belo de um bolo de chocolate. Aqui está uma fatia, das gordas, para ti. Ainda está quentinho...

Beijo enorme!

Cris (Mahinder Kaur) disse...

Eu já li este post várias vezes, mas ainda não sei o que te dizer...
Um xi enorme