domingo, 1 de novembro de 2009

123ª Conversa - Consciência de mim

Percebo ou começo a perceber que não tenho qualquer noção do que passo para o outro lado, para os outros. Não tenho qualquer noção da forma como os outros me vêem. Muitos dirão que sou isto ou sou aquilo passando-me a "mão pelo pelo". Não sou assim! Tenho defeitos e muitos.. qualidades também. É dificil dizer "és isto" ou "és aquilo" quando é dificil de ouvir. Mas preciso de o ouvir, por muito que me custe. Confesso que não o aceito de "qualquer um", e não aceito que o digam como critica. Mas admiro quem o diz por amizade e respeito... como uma mãe que sabe que o filho é lindo por ser seu, mas que tem defeitos.

... E foi assim, através desses momentos de sinceridade e amizade profunda, que fui percebendo que existem coisas que faço ou que não faço que transparecem uma coisa bem diferente. Reflito, tomo consciência, e mudo... ou a forma de estar/fazer, ou a consciencia da mesma e de mim. Vou aprendendo e crescendo... conhecendo-me.

14 comentários:

Paula Raposo disse...

E esse processo pode ser demorado ou não, dependendo de pessoa para pessoa.
O meu processo ainda vai no início e por aqui não vou ter tempo de o terminar. Fica para outra vez...beijos.

Marta disse...

:))))

Tens ainda que ter uma outra consciência, isso a que tu chamas de defeito, só porque não sabias que tinhas/fazias, será mesmo um defeito?

Eu vou tentando tomar consciência de mim e acha que já começo a conhecer-me bastante bem.

Sara S. disse...

Ao longo do tempo adquire-se uma consciência reflexiva, um termo que ouvi há uns meses atrás e que se refere à percepção que temos do nosso ser, ou melhor, da nossa maneira de ser. É mesmo um processo de maturação.
Mas cuidado, as palavras dos outros nem sempre reflectem a realidade. Isso também já deve ser do conhecimento de todos, no entanto, acho que sempre é bom relembrar.
Beijinhos

Anónimo disse...

As criticas fazem parte da vida, desde a nossa infância até partirmos para outra vida.
Não temos outro remédio senão ir vivendo com elas, encontrando um caminho que nos faça sentir bem com nós proprios. Existem criticas injustas? sim... Criticas feitas por parte de pessoas de quem gostamos muito duras? tambem, mas mais do ficarmos magoados ou tristes, devemos reflectir sobre elas e se forem injustas fazer ver a quem nos criticou que está enganado, ou se forem justas tentar melhorar/ modifcar algum comportamento, ou mais simples ainda... ninguem é perfeito!!! porque não viver bem com algo de menos bom, que apesar de tudo não se quer mudar e viver bem com isso. Porque não??!!

Não se deve isso sim é, fecharmo-nos sobre nós mesmos numa redoma de modo a evitar sermos criticados. Isso é que não faz nada bem.

Depois de tudo, o mais importante, é saber se por mais dura que foi a critica, tentar perceber porque foi feita, e se essa pessoa realmente gosta de nós. Mais do que tudo isso é que é importante!

Cátia disse...

Paula,

Já te respondi por email.. estou certa que seguirás o teu caminho, com passo certo.

Beijo



Marta,

Cada passo é um passo em frente para me conhecer e tornar-me cada vez melhor... estou certa que estou no caminho certo... e devo-o à aposta que tenho feito em mim, e alguns amigos que me vao ajudando.

Beijo


Sara,

Consciencia reflexiva... vou ficar com esta expressão em mente. :) Sim, sem duvida que nem sempre as palavras dos outros reflectem a realidade... Tantas vezes! Mas isso está em nós fazer essa selecçao.

Beijocas

Cátia disse...

Caro Anónimo (que até aposto que sei quem seja),

AS criticas fazem parte, é verdade. Mas neste post não falo da critica banal, daquela que vivemos desde a infancia - como dizes. Falo aqui de um conhecimento profundo do que somos, de uma consciencia da imagem que transparecemos para os outros. Uma coisa é o que se pretende passar, seja imagem seja informação, outra coisa é o que conseguimos efectivamente passar. Se tivermos consciencia do que chega ao outro lado podemos mudar (ou nao) a forma de passar a informaçao.

Essa da redoma é engraçada, mas foi completamente ao lado - peço desculpa. As pessoas não vivem em redomas! Não, nao vivem, se estiverem em redomas simplesmente não vivem, passeiam pela vida. Ao contrario do que pensas, não vivo em nenhuma redoma. Já ouvi muita critica, acredita. Mas as criticas a que me refiro, não permito a qualquer um porque são aquelas que transformam a nossa forma de estar na vida...

Quanto a viver bem com algo de menos bom porque nao se quer mudar, nao concordo - acho que devemos, ou pelo menos eu quero, ir melhorar sempre mais... É nesse sentido que estou a fazer este meu investimento. Não melhorar, é estagnar e ficar para trás... e nao te aconselho.

Sim, permito às pessoas que gostam de mim, mas ... há que ter atençao a forma como se faz, não se pode fazer de qualquer forma - lá está, é a forma como se transmite a informação.

Beijinho,
CA

Anónimo disse...

Falo da redoma em sentido metafórico. Sei que as redomas não existem, referia-me a muitas vezes as pessoas não irem á luta por medo de criticas, e tentarem ir passando despercebidas pela vida. Não quer dizer que seja necessáriamente mau. Certas pessoas escolhem ir "passando" pela vida discretamente ( Não estou a dizer que seja o teu caso) sem levantar grandes ondas, fazendo na mesma o seu trabalho competente, e não deixando de ser amigo do seu amigo. Sinceramente não vejo nehum mal nisso.

Sobre o que deixamos ou não transparecer para o outro lado, acho que começa por deixar-mos o outro conhecernos melhor. Ir deixando pequenas pistas, sobre o que queremos ou não queremos, sobre o que sentimos ou não sentimos. Não se pode pedir ao outro que se "acerte" sempre nas criticas quando esse outro não nos conhece totalmente.

Finalmente sobre o não mudar algo que os outros acham muito bom, por min penso que tambem não devemos cair no exagero de tentar corrigir tudo apressadamente só porque sim. Existem muitas pessoas diferentes com muitas opiniões diferentes, com vários graus de conhecimentos sobre nós próprios.

Penso que devemos aceitar as criticas, racionalizar sobre elas e , se chegarmos á conclusão que devemos mudar, ou temos capacidade de mudar devemos faze-lo, mas se e só se nos sentirmo á vontade para o fazer.

Acho que se deve ir por aí. Primeiro que tudo temos que nos sentir seguros de nós próprios. Um defeito existe sim. Mas se nos sentirmos ainda inseguros com essa mudança, acho que por enquanto não o devemos fazer. Isso seria sim bem pior.

Beijinho!, agora que já sabes quem sou

Cátia disse...

Não condeno ninguem pela vida que leva. Todos somos diferentes e cada um levará a vida como quiser... Existem pessoas que querem passar pela vida sem levantar ondas, e eu nao as condeno - quem sou eu?! Sei que eu quero fazer algo diferente... Nem sempre pude travar grandes guerras na minha vida, porque tive, algumas vezes, tive que desviar a minha força para travar pequenas lutas... lutas de sobrevivencia ou lutas internas. Mas lutando e resolvendo agora algumas batalhas, terei posteriormente "disponibilidade" para essas outras lutas que quero para mim.

Nem sempre é preciso abrir o mundo aos outros... Ou pelo menos nao na sua totalidade. Devemos sim, dar a conhecer o que achamos razoavel para nos sentirmos bem com isso. Este dar a conhecer varia de pessoa para pessoa, tanto de quem dá, como de quem recebe... e se o sabe receber da forma como o desejamos.

A correcção do que somos deve ser feita de forma temperada, conforme o que desejamos e conforme o nosso estado de evolução... ou como dizes, conforme o nosso tempo. Nunca deve ser porque sim, ou porque os outros simplesmente o dizem, mas porque sofreram uma reflexao da nossa parte, concordamos - ou não. Não falo só e simplesmente em mudar comportamentos, mas mudar a forma como se tenta passar a mensagem. Muitas vezes a forma como o fazemos não é mais adequada e, por causa da forma, acabamos por passar uma mensagem diferente do que queriamos. Mas para isso, precisamos dos que estao do outro lado para nos dizerem que mensagem andamos nós a transmitir... e não necessariamente criticando-nos.

Beijinho
CA

Cátia disse...

ps - conheci-te pela forma de escreveres...

Spectrum disse...

Eua credito piamente que aprender e apreender é a verdadeira razão da vida.
Beijos

Vieira Calado disse...

Diz bem, amiga!

crescendo e prendendo!

E nunca haveremos de aprender tudo...

Bjs

teresa disse...

ai amiga fico contente por estares nesta fase de crescimento .
que bom , é sinal que estás a avançar , e eu acredito em ti , tenho fé que vais ficar , completamente , totalmente , radicalmente , maravilhosamente , e definitivamente bem .

beijinhos minha querida e continua por esse caminho que já é uma luz no fundo do tunel , e sabes o que isso quer dizer ?

que estás quase , quase, quase lá .

um xi bem apertado

O Profeta disse...

Frias pedras, negro basalto
Sentinelas do receio à tempestade
Testemunhas da viajem do tempo
Cobertas de sal, guardiãs da verdade

Mas, não há duas reais verdades
Não há rios que correm para o alto
Não há amor num coração que mente
Não há ternura sem viver o momento


Vem viver a minha cidade inventada


Doce beijo

Cátia disse...

spectrum,

Acho que sim tambem. Aprender e apreender... Obrigada pela visita.

Beijinho


Vieira Calado,

Nunca havemos de aprender tudo mas ha que abrir os olhos para aprender o maximo, nao é? :)

Beijinho


Teresa,

Obrigada pelo teu carinho e força sempre presentes.

Abraço meu


Profeta,

Passar e ler... sim?

Bj,

CA