terça-feira, 18 de agosto de 2009

104ª Conversa - A depressão

"Depressão" era uma palavra que não esteve nas palavras da Rute até à um mes atrás, mais ou menos. Antes, e sempre pressionada por mim com a pergunta que ela não gosta, ela falava em "sintomatologia depressiva". Até que numa destas visitas, enquanto falavamos de diversos acontecimentos e situações passadas ali, eu perguntei-lhe claramente sobre isso. Como poderia ela negar? Ou porque é que ela nunca usava a palavra correcta? E.. ela usou-a: Depressão... Infantil. Explicou-me então que clinicamente o que eu tive / tenho foi/é mesmo uma depressão infantil, provocada há muito e que nunca foi controlada ou cuidada.... e por isso, veio até ao presente. Felizmente, o meu lado saudável, aquele que lado que luta é muito grande em mim, e foi sempre esse lado que foi lutando contra esta depressão, fazendo com que eu fosse tendo sucesso em muitos aspectos.

Com as nossas conversas tenho conseguido desenvolver alguma estrutura para combater tudo isso. Tenho lutado imenso, e os resultados têm sido muitos e visíveis... em mim e na minha relação com os outros. Se já passou? Não... É certo que tenho vindo a melhorar, mas depois... por um ou outro motivo caio estrondosamente.

Na semana passada, a Rute viu-a nos meus olhos. E por muito que falasse não havia como lhe dar a volta. Mas a estrutura está montada em mim, e por isso, melhor ou pior durante a semana lá fui despistando-a.

Ontem ao perguntar-me se eu estava melhor, eu respondi-lhe que "nunca estava uma semana inteira igual, não existem dias iguais... O lado saudável não permite", e ela sorriu dizendo que era isso mesmo que queria ouvir.

Não me faço de "coitadinha", e quem pensar isso do início deste post, engana-se. Sou uma pessoa com força que luta por objectivos e valores. Sou uma pessoa ambiciosa e isso faz-me caminhar em frente. Tropeço? Com certeza, mas quem caminha sempre a direito?! A vida pregou-me algumas partidas, mas... há que saber lidar com elas e eu... estou a aprender!

13 comentários:

Anónimo disse...

Ainda bem que consegues! Não tenho os teus ingredientes e, se calhar, tropeço mais um bocadinho. Contra todas as probabilidades cá continuo, meio a balançar na corda bamba. O que há dentro de mim que me faz continuar a andar, muitas vezes sem vontade? Ainda não descobri. Há partidas com que não consigo lidar ainda. E não sou ambiciosa o que não ajuda. As diferenças são, portanto, bem claras. O comum é continuarmos a caminhar, uma com passo mais rápido outra com passo mais lento. Já me estiquei o suficiente.
Beijinhos e Força!
CF

Marta disse...

Eu sou muito diferente, não por não ter tido os meus problemas, mas sim por eles terem sido muito diferentes. Eu sou diferente e nem sempre terei a capacidade de entender, ou concordar, mas tenho (espero) a de ouvir. Sou mais bruta é certo, muito mais, mas de qualquer forma estou por aqui para esses dias em que te estaletas e para os outros também!

Beijo grande!

(A CF do comentário de cima, se é quem eu penso, também cá estou, embora lhe possa parecer que não...)

Paula disse...

Deixo-te aqui um miminho de força...
"Enquanto estiveres viva, sente-te viva.
Se sentires saudades do que fazias, volta a fazê-lo.
Não vivas de fotografias amareladas...
Continua, quando todos esperam que desistas.
Não deixes que enferruje o ferro que existe em ti.
Faz com que em vez de pena, tenham respeito por ti.
Quando não conseguires correr através dos anos, trota.
Quando não conseguires trotar, caminha.
Quando não conseguires caminhar, usa uma bengala"... mas nunca desistas
M.T.Calcutá

beijinhos PP

VFS disse...

os reflexos podem trazer algumas dúvidas, mas o ímpeto da existência impele-nos a prosseguir.

só saberemos o que é levantar depois de cair.

teresa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
teresa disse...

olá catia estava aqui a [passear]
quando vi o teu texto e não posso deixar de comentar
[desculpa o atrevimento]
é que eu tenho uma pessoa na familia que tem um problema semelhante mas chamam-lhe uma psicofobia ou seja o medico diz que ele bloqueou alguma coisa em criança que não conseguiu ultrapassar e agora como nunca foi tratado esta pior , por isso ele começou a fazer psicoterapia , e isso esta a ajuda-lo muito .
se calhar tambem te podia fazer bem a ti ,,,
beijinhos e muita força

teresa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fontez disse...

tu consegues(irás)!
que luta, como tu, chega à meta.
demorar ou não, ficar em primeiro ou não, a questão primária é a luta que travamos, o sacrificio e esforço permanente que fazemos.

não te esqueças:
Deus olha por ti.

abraço apertado.

facil? não! caidas? sim!
(mas tb alegrias)

mas tu conseguirás...encontrar o caminho da paz. Aliás já estas nele...a percorrer!

bj grande dear.

Opalescence disse...

Descobri-te há pouco tempo atrás e desde então tenho vindo a acompanhar a tua história e tenho-te a dizer que admiro a forma como idas com os problemas e vais à luta. Pareces-me ser uma pessoa bastante racional e é natural que isso ajude. Mas a tua força é admirável. Muitos Parabéns por tudo isso.

Beijinho carinhoso

Cátia disse...

CF,

É bom mesmo que continues, com tropeçoes ou não... mas quem não os tem? Cada um deverá caminhar a seu passo, mais rapido ou mais devagar... Cada um tem o seu tempo, cada pessoa é uma.
Espero que possas ir indo sempre, e se precisares de alguma coisa, tens-me por perto.

Um beijo


PP,

Que mais te posso dizer minha amiga? É dificil olhar-te nos olhos todos os dias e depois leres aqui que as coisas não são sempre sorrisos... A tua descrição é ouro!

(Porta-te bem agora nestas duas semanas que estarei ausente... ouviu?! Isto de eu não tomar conta de ti... coitada da SD! Brincadeirinha)

Um beijinho grande


VFS,

Que o ímpeto da existência me impele sempre... é que às vezes é tao dificil...

Abraço

Cátia disse...

Teresa,

É sempre bom ter por aqui pessoas novas, esteja a vontade: entre e sente-se que aqui os sofás são muitos e confortáveis.

O que me diz está completamente correcto. Existem coisas, mais ou menos graves a um primeiro olhar, que marcam... Sejam grandes ou pequenas, o que interessa é que magoaram e marcaram... E é muito dificil aos pais se aperceberem dessas pequenas coisas, dessas feridas que vao ficando mal curadas...

... Hoje eu e a Rute (a minha terapeuta) estamos a caminhar para algo melhor. E como diz, a fazer-me muito bem.

Um beijo
CA

Cátia disse...

Fontez,

Com certeza não é? Desistir não é forma de seguir.

Um beijo


Opalescence,

Obrigada pelo carinho. É sempre bom ter por perto quem nos quer bem.

Tenho andado ausente, mas o tempo não tem sido muito. Desculpa.

Um beijo

Ca

Sara S. disse...

O lado saudável sempre ganha nalgumas batalhas :) Agora é deixá-lo mostrar mais e continuar nessa luta. Um dia, haverá uma vitória definitiva, que se o caminho percorrido até agora se mantiver, será a desse lado positivo e valente. E lá está a força da qual falava. É uma escrita poderosa esta. Beijinhos